Ao invés de iniciarem uma batalha pelo território nacional, as startups Yellow e Grin, brasileira e mexicana, optaram pela fusão chamada Grow Mobility Inc.
Negócios Inovadores

Se não pode vencê-los, junte-se a eles: A parceria Grow entre Grin e Yellow

Comentários (2)
  1. Avatar Henri Coelho disse:

    Infelizmente a utilização via plataforma da Rappi não é boa, por enquanto.
    Você abre diversos pedidos lendo o QR Code de vários patinetes e nenhum é ativado, e cada um abre um novo pedido de entrega no Rappi.
    Depois, quando consegue ativar um patinete, não consegue finalizar a corrida.
    Acho que foi um gol contra esta união, pelo menos até que o aplicativo resolva os problemas e permita uma utilização mais inteligente dos equipamentos.

  2. Avatar antonio disse:

    Jaba ?

    Sei que não foi, mas foi deslumbre e um tiquinho de falta de conexão com a realidade.
    STARTUP não é brinquedo, mas uma empresa com um nome bacana…
    Como empresas que são, Por princípio, por mais ágil e “lean” , devem concentrar em gerar valor para o cliente, funcionário e acionista (ou investidor), mesmo que a longo prazo.
    Ai a máxima dos “dinossauros” deve ser respeita : L = R>D (lucro = receita maior que despesa) .
    Sem isso não sobrevive. 1,1 mil funcionparios para alugar patinete e bike ?
    Se ainda assim fossem funcionários mal remunerados e de campo , basicamente operacionais, até vai, porque precisa de uma grande operação, mas o caso aqui são pelo menos 500 engenheiros de softwarte, muitos customers grow , products manager, etc.
    Estamos falando de aluguel de bike e patinete, basicamente o produto é : uma boa experiência de compra (não precisa de 500 devs e tantos de produto e back office) + um bom hardware (patinete bacana e segura + bike bacana e segura) .
    Não foi o caso também… a patinete era razoavel e a bike muito ruim (compara a do Itau por ex ou a Lime – que tb puxou o carro)
    Tava muito evidente que pelo valor cobrado e pelo valor de custo, amparados na capacidade de geração de demanda, a conta não ia fechar, ou no mais positivo dos casos, não ia escalar e seria restrito a SP e Mexico City. Parece que esse é o caminho atual.
    Pra isso não precisava dar tanta cabeçada, mas… que iria prever isso ??
    Se todos, inclusive o Sr , se encantou com o canto da sereia… como que os mais leigos ou desinteressados não iam comprar essa balela..
    POde por nessa conta o Rappi, mesmo com 1bi de dolares do SoftBank, não tem como esse modelo de negócio parar de pé, uma pena, mas será o destino deles,
    Na próxima, vamos tentar iniciar a matéria partindo as premissas certas, como : Essa fusão ocorreu mesmo e pq ? QUal a sinergia ? qual o custo e a demanda ? O potencial de geração de receita , mesmo que no projetado é condizente com essa bolha estrutual criada ?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *